quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Todas as cartas de amor são  ridículas, poeta?




"Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas.)

(Álvaro de Campos,
in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa)


E eu, o que penso?
Pode ser
que as cartas de amor sejam ridículas
E ele afirma que já as escreveu
O que o caracteriza ter sido ridículo no passado.
Deve ter o poeta suas razões.
Desse tema , me abstenho
Eu nunca escrevi cartas de amor.
Nem adolescente
muito mesmo agora.
Desperdício,
Escrevi,
Escrevemos mil bilhetes de amor.
Recados deixados sobre a mesa
E sempre terminando:
Eu te amo.
És minha vida.
Tem mamadeira na geladeira.
Espero-te na tua volta
Depois do plantão da meia - note
Para saber do teu dia.
Não aguentei.
Exausta.
Nossos filhos me deram canseira.
Estarei dormindo.
Dá-me um beijo!
Senti saudades de ti.
E recebia também estes bilhetes
Rápidos
Mas cheios de amor!

Éramos ridículos, nunca!
Uníamos o prático de um jovem casal com dois filhos
Entremeados de declarações de carinho.

Não foram palavras nem sentimentos esdrúxulos.
Nem ficaram perdidos na memória.

Até hoje
Trocamos recados práticos:
 - Compra alface, brócolis,
e "meu"vinagre orgânico de maçã
E não esqueça do teu remédio!
Eu te amo!
Mas se não comprares algo gostoso
Nem precisas voltar, ouviste?

E encontro na mesa de cabeceira
-  Amor
Não é melhor comprar mais verduras?
Se eu encontrar algo diferente
Vou ligar, te acordar,  dorminhoca!
O sol já raiou há muito tempo!
Beijos, te amo!

Ora, poeta,
Ridículo
É escrever cartas longas
Cheias de juras de amor
A realidade está aí.
O amor é o mesmo ou maior!

Ridículo e esdrúxulo é não declarar
por toda a nossa vida
o quanto amamos alguém!

Mas não esqueça da minha bananada diet
Senão... é divórcio!

Maria Izabel Viégas

4 comentários:

  1. Muito lindo e também não acho que cartas de amor são ridículas..Se escritas com amor verdadeiro, valem sempre...Fazem bem! Gosto delas! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, escrevi muitas cartas, cartinhas, bilhetinhos, recadinhos, hoje em dia, pelo Whatsapp rsrsrs , mas num creio que foram ridículos rsrsr muitos foram bem melosos rsrsrs eram formas de se expressar amor, carinho e hoje em dia, mesmo que seja pra pedir para comprar algo gostoso no supermercado, o que vale são os sentimentos que vão junto, né?
    Beijos, minha linda do coração,
    Valéria

    ResponderExcluir
  3. Amiga, escrevi e recebi muitas cartas de amor. Que romântico, nada de ridículo. Linda poesia.
    Para que esse fim de semana seja de muita paz, amor e esperança de dias melhores, deixo esse pensamento da Ana Carolina:
    “Diga o que você pensa com esperança.
    Pense no que você faz com fé.
    Faça o que você deve fazer com amor!”
    Abraços da amiga Lourdes Duarte.

    ResponderExcluir
  4. Mainha, na minha juventude eu escrevi e recebi cartas de amor.Mas não eram aquelas cartas açucaradas, eram relatos do dia a dia, da saudade, e outras coisas que não me lembro. Mas sabe, né, adolescente se encanta por essas coisas, pelo menos eu me encantava.
    Agora, esses bilhetinhos de vcs dois, ah, isso é puro amor! Ainda mais sobre a bananada diet!
    Beijos!

    ResponderExcluir